- 22 de outubro de 2017

Estudar é preciso

0

Foto: ReproduçãoO aumento de VIPPES está sendo identificado em várias instituições de ensino superior. São pessoas aposentadas, que por vezes já têm diploma de ensino superior e buscam outros cursos. Procuram uma mudança de carreira ou a realização de um sonho.

Não são apenas os jovens que estão buscando a Educação no Brasil. Os VIPPES estão procurando, cada vez mais, desde o ensino básico até o ensino superior. Alguns realizam o sonho de fazer a segunda graduação em uma área que sempre lhes despertou interesse, outros alcançam a meta de aprender a ler e escrever.

Segundo o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais o número de inscritos com 50 anos ou mais cresce anualmente. O aumento de VIPPES está sendo identificado em várias instituições de ensino superior. São pessoas aposentadas, que por vezes já têm diploma de ensino superior e buscam outros cursos. Procuram uma mudança de carreira ou a realização de um sonho. Esses alunos procuram outro modo de vida, outro conjunto de pessoas, uma vida em que tenham representatividade. Não é mais para entrar no mercado de trabalho, mas para se comunicar.

Em março de 2015 o Brasil registrou o impressionante número de 45 milhões de VIPPES. Esses 45 milhões de VIPPES (50 anos em diante) é a sequência de uma expansão que ocorrerá neste século. E tudo em um espaço de tempo muito curto.
Enquanto a discussão federal foca a previdência social e a saúde, a preocupação com a Educação ainda não se mostra de forma acentuada, o que tem gerado um retardo nas ações que almejam garantir ao enorme contingente de VIPPES uma vida menos sacrificada. O aumento da população de VIPPES no País irá demandar um repensar das ações educacionais.

Mona C Cury

Compartilhe.

Comments are closed.