- 15 de dezembro de 2017

Enriquecer com os VIPPES

0

Foto: ReproduçãoEm qualquer aspecto que se queira avaliar, as oportunidades exigirão coragem, criatividade e principalmente vontade de mudar para melhor. No ângulo Serviços, por exemplo, é imperioso que se conheça profundamente as necessidades da nova sociedade.

Se houver uma avaliação baseada na impressão provocada na época da explosão demográfica dos últimos cem anos e que qualificou a idade avançada como improdutiva, aí sim, a sociedade caminhará ao contrário.

A solução passa obrigatoriamente, portanto, para a desconstrução das ideias e análises preconceituosas e negativas da velhice. Pensar que os sessentões viviam apenas para descansar em cadeiras de balanço ou jogar damas nos jardins das praças públicas não pode mais servir de base confiável para qualquer estudo e desenho do futuro.

A atividade de Cuidador de Idoso, por exemplo, é caso típico de tese de doutorado sobre as novas características dessa profissão. Até então, Cuidador de Idoso era uma variante de emprego doméstico. Muitos empregados preferiam a mais recente denominação. Agora, Cuidador de Idoso significa um conjunto de atividades que está mais para Cuidador Pessoal (Personal Care) do que qualquer outra terminologia informaria. Já se constata no mercado de recursos humanos Cuidadores que se apresentam até com veículo próprio para levar o cliente para qualquer destino desejado. Os Cuidadores vão se tornar, cada vez mais, acompanhantes de VIPPES que querem continuar a viver a vida com atividade e qualidade.

O mesmo acontece na categoria de saúde como enfermagem, fisioterapia, geriatria onde os profissionais que as exercem estão em permanente reciclagem sobre as específicas características da idade mais avançada. Está ficando fácil perceber que milhares de pessoas estão passando dos 70 anos e entre elas muitas celebridades que ainda atuam destacadamente. Parte desse pessoal produtivo está à procura de profissionais que os atendam adequadamente para que estendam ainda mais a possibilidade de continuarem trabalhando.

Empresas que adotarem como foco a nova onda de oportunidades que o envelhecimento populacional proporciona, irão enriquecer, certamente. É evidente que os VIPPES serão exigentes. Muitos poderão pagar por serviços, mas não por qualquer serviço e sim por aqueles de qualidade indiscutível. Naturalmente nem todos gostarão de atender VIPPES e é melhor que realmente não os atendam. A dificuldade ocorrerá à medida que aqueles que não querem ou não gostam de trabalhar com pessoas de mais idade se defrontarem com a redução na quantidade de clientes mais jovens. Percebendo essa situação tarde demais, poderão se orientar para uma adaptação emergencial a ela.

Assim, em lugar de uma reciclagem tempestiva como a dos profissionais de maior visão, tentarão entrar no mercado de contínua expansão dos VIPPES apenas pelo motivo de não perder dinheiro. Nesses casos, o sucesso será difícil, pois a ausência de maior motivação e satisfação pessoal impedirá a empatia fundamental que é coluna mestra nas relações humanas.

G. Hansen Jr

Compartilhe.

Comments are closed.