- 22 de outubro de 2017

Aparência é tudo!

0

Foto: ReproduçãoA Moda, que a cada ano procura impor, recomendar ou atender os reclamos estéticos dos seres humanos em geral, está devendo muito aos VIPPES. Essa constatação não é pura opinião. Ela se baseia em uma análise lógica da sociedade e seus componentes.

VIPPES são as pessoas de 50 anos em diante. É a partir desta idade que o ser humano em geral (sempre há exceções) começa a perceber a redução da vitalidade. Em alguns casos, a deficiência é identificada na perda suave e lenta da visão; em outros, da audição, do paladar, da força muscular, do surgimento de problemas de saúde até então inéditos (diabetes, pressão alta, perda ou aumento de pesos, etc.).

Com o avanço dos anos, o grau de redução se eleva e nos casos mais graves os VIPPES podem chegar à imobilidade parcial ou acometimento de doenças crônicas que necessitam tratamento vitalício. Em parte dessa população também os acessórios, próteses, órteses, aparelhos e equipamentos móveis ou fixos serão componentes imprescindíveis para a manutenção da qualidade de vida.

No Brasil de 2015, 45 milhões de VIPPES já significa 22% da população geral. Essa turma está na situação descrita acima.

A maior parte dos problemas mencionados exerce influência na aparência pessoal, alguns de forma facilmente visível e outros nem tanto. A Moda ajuda a autoestima de qualquer pessoa e principalmente daquelas que sentem a perda de condições orgânicas que antes não eram existentes ou percebidas.

Por que a Moda é um auxílio imprescindível? Porque ela pode minimizar as marcas mais indesejadas do avanço da idade, principalmente aquelas que mais prejudicam a aparência pessoal. E o sentido de Moda é amplo, total. Vai do vestuário aos acessórios. Calçados ortopédicos, roupas especiais, maquiagens terapêuticas, próteses e órteses invisíveis, recursos que melhoram a aparência geral fazem parte de um portfólio ainda escasso.

Naturalmente os VIPPES de idade mais avançada terão maior volume de necessidades estéticas a serem atendidas, mas é aos 50 anos que tudo começa. Se os VIPPES, ao menor sinal de algum problema, perceberem que podem disfarçar ou administrar melhor a deficiência ou insuficiência, enfrentarão mais seguros e confiantes os anos futuros quando as dificuldades crescerão inevitavelmente. Dos óculos aos andadores, dos aparelhos auditivos às sondas renais, da incontinência urinária aos coletes cervicais, tudo deverá passar por uma reciclagem no design e na disponibilidade para as várias classes sociais.

O envelhecimento populacional é uma alavanca que reconstrói a sociedade e a Moda ocupará lugar de destaque nesse processo.

G. Hansen Jr.

Compartilhe.

Comments are closed.