- 22 de novembro de 2017

Dietas certificadas

0

As melhores empresas do mercado criam sistemas e institutos especializados em avaliar e controlar a qualidade dos produtos e serviços. Afinal, consumidores satisfeitos são fiéis.

dietas certificadasComo ficam os bares e restaurantes no atendimento da nova geração expandida dos VIPPES?

Já houve comentários a respeito da arquitetura e elementos construtivos que deveriam nortear os projetos de novos bares e restaurantes para acomodar os VIPPES. Mas e quanto ao que comer?

Todos sabem que os VIPPES não precisam se empanturrar de comida e que a moderação é a chave para evitar problemas digestivos.

Muito se escreve e se nota nas revistas, nos programas televisivos e agora na Internet sobre dietas extraordinárias para se atingir a longevidade.

É tanta invenção que se torna praticamente impossível saber o que é verdadeiro e o que é simplesmente empirismo.

Para quem gosta de frequentar restaurantes por necessidade, conveniência ou livre escolha, seguir dietas se torna complicado. Para quem pode se alimentar em casa, sempre haverá possibilidade de selecionar uma dieta e mantê-la semanas a fio sem interrupção significativa.

Como fazer dieta sem contar com a personalização que só se consegue no lar?

Os restaurantes seriam os executores dietéticos diurnos para todos que trabalham fora. Para cumprir esse papel, entretanto, é fundamental que se crie um mecanismo de confiança total.

Evidentemente, quando a quantidade de VIPPES era pouco expressiva, não valia a pena muita preocupação em “pensar ou preparar” dietas especiais. Agora a situação é outra e em cada cinco clientes um é VIPPES. Vinte por cento é fatia que nenhum empresário despreza e esse vinte por cento vai crescer sempre e vai alcançar cinquenta por cento, inexoravelmente.

Assim, o anterior “não vale a pena” tem que ser substituído pelo “tudo que reluz é ouro”.

Ora, se VIPPES querem se alimentar bem e precisam de dietas adequadas, os restaurantes e bares onde se come bem terão de atendê-los com qualidade e confiabilidade.

Nessa operação os dois lados vão precisar seguir determinadas normas de boa convivência e conveniência. Os VIPPES terão que demonstrar comprovadamente que devem seguir determinada dieta, talvez através de recomendação médica ou nutricional documentada.

E os restaurantes precisarão reavaliar o planejamento operacional para que seus clientes VIPPES possam garantir o prazer de saborear bons pratos dentro das recomendações básicas adequadas para eles.

Atualmente os restaurantes recebem qualificações de caráter gastronômico e aprovação sanitária. Não há nenhuma certificação de adequação às exigências ou recomendações dietéticas.

Poderia ser um diferencial interessante para a conquista de um grupo etário que vai se sobressair cada dia mais daqui até o final do século.

Um restaurante ou bar com a certificação indicativa de conhecimento e qualificação de pratos conforme as práticas utilizadas nas dietas nutricionais complementares a tratamentos ou manutenção da saúde. Essa certificação corresponderia a uma estrela a mais na classificação de qualidade dos restaurantes. Ser um estabelecimento gastronômico “seis estrelas” seria a melhor indicação para os VIPPES que valorizam o prazer de comer.

J. Mark Torrence

 

Compartilhe.

Leave A Reply