- 23 de julho de 2018

Profissão informal

0

Anúncios de cursos para pessoas que pretendem dar atendimento a idosos começam a pipocar em todos os meios de comunicação e nem sempre as informações visíveis esclarecem todas as dúvidas.

profissao_informalProfissão informal é aquela que está fora da legislação trabalhista seja particular (CLT) ou pública. O conceito de informalidade é a ausência de qualquer tipo de registro da tarefa, das obrigações e dos direitos de quem a executa.

O trabalho informal torna difícil e improvável a obtenção de qualquer benefício garantido pelas leis a todos que trabalham formalmente.

O envelhecimento populacional cria um trabalho especializado que deverá ser provavelmente o responsável pelo maior número de posições daqui para frente: o cuidador de idosos (de VIPPES, na linguagem do Portal).

Muitas entidades estão oferecendo cursos para a formação de cuidadores. Nas maiores cidades do País já são muitas as vagas e normalmente preenchidas integralmente quando gratuitas.

Como funciona essa nova atividade de preparação de cuidadores de idosos?

São várias as razões para o surgimento desses cursos:

– aumento substancial na procura de pessoal com essa formação – esse fato já era previsto desde o início deste século, pois o volume de VIPPES vem aumentando continuamente;

– VIPPES que acabam ficando sozinhos, principalmente mulheres, sentem a necessidade de companhia – com o aumento da esperança de vida, o crescimento no número de VIPPES solitários é exponencial e com tendência de continuar assim até o final do século XXI;
– aumenta a quantidade de instituições de longa permanência para idoso (ILPI) ou asilos, algumas formais e muitas informais – VIPPES que não apresentam condições de autonomia são abandonados pela família que muitas vezes também não tem meios para mantê-los;

– hospitais e clínicas que recebem VIPPES necessitam cada vez mais de cuidadores para liberarem a enfermagem de tarefas inadequadas;

– instituições assistenciais públicas, particulares, ONGs recebem maior número de VIPPES para atendimento diário;

– famílias cujos membros mais jovens trabalham ou estudam não têm como cuidar pessoalmente de seus familiares idosos – a procura de cuidadores nestes casos apresenta um aumento ainda maior que nos demais casos.

Como se percebe são variadas as razões que conduzem o mercado de trabalho a buscar cuidadores de idosos. Ainda não há estatísticas confiáveis para se montar um quadro de participação de cada fator na composição da procura. Alguns empreendedores já perceberam a oportunidade que o mercado de vagas laborativas oferece e com a excepcional vantagem de ser um mercado crescente a cada mês.

Assim, identificamos alguns tipos de cursos para cuidadores que se encontram disponíveis nas grandes e algumas médias cidades:

a)    Curso Rápido para Informais Cuidadores de Idosos

É curso direcionado para familiares e amigos da família do idoso que mora na mesma residência. Normalmente é realizado em 4 a 6 horas em um único dia.

O “aluno” – 98% do sexo feminino recebem informações de procedimentos básicos no atendimento ao idoso: dar alimentação, fazer higiene básica, ajudar a levantar, deitar e andar, providenciar a tomada de medicamentos e permanecer próximo.

Há cursos gratuitos e pagos.

Em alguns casos esse curso pode dar algumas noções elementares de procedimentos de emergência e enfermagem.

Os “alunos” geralmente vão dar a assistência sem remuneração.

É importante dizer que esse tipo de curso não forma profissionais que queiram ser remunerados no exercício do atendimento. O preparo é efetivamente insuficiente para a responsabilidade de um compromisso maior. Apesar disso, algumas agências de emprego ministram esses cursos gratuitamente e colocam os interessados como profissionais qualificados.

b)    Curso para Cuidadores Formais

É voltado para todas as pessoas que queiram obter remuneração formal com registro profissional ou não, mas que possam apresentar comprovação de treinamento. Curso que desenvolve noções fundamentais de primeiros cuidados em emergências, providências básicas de enfermagem, orientação psicológica para atendimento de idoso e todas as demais necessidades no atendimento de VIPPES de qualquer faixa etária.

Alguns cursos são ministrados por vários especialistas, cada um em uma área específica. Duram de 20 a 40 horas em de acordo com as possibilidades dos interessados.

Algumas entidades ministram esses cursos gratuitamente e há empresas de formação e treinamento de mão de obra que já os incluíram em seus portfólios de atividade.

Efetivamente, os “formados” por esses cursos apresentam condições mínimas para terem registro em carteira como “cuidadores de idosos”, profissão que já tem uma solicitação de reconhecimento pela legislação trabalhista que até agora o tipifica como “empregado doméstico”.

c)    Curso intensivo de Cuidadores profissionais

Voltado para todos aqueles que queiram realizar atendimento ao idoso como objetivo de carreira profissional. As orientações são ministradas por especialistas e técnicos qualificados e o “aluno” sai com uma formação suficiente para arcar com responsabilidade qualificada no atendimento de pacientes.

Os “formandos” normalmente já saem com empregos garantidos e atuam como verdadeiros “personal cuidadores de idosos”.

Esses cursos são realizados em períodos de 100 a 120 horas de aulas teóricas e práticas e em horários flexíveis.

A remuneração é aberta e o “cuidador profissional” pode ser registrado.

Esse tipo de curso provavelmente será considerado como base para todos os cursos que deverão ser criados em todo o País para atender milhões de interessados em trabalhar com os milhões de VIPPES em formidável expansão. Não se trata de exagero, pois o envelhecimento populacional terá expansão fabulosa e só para VIPPES de 90 anos em diante (a maioria com ou sem saúde vai precisar de cuidadores) haverá necessidade de um cuidador para cada um, informal ou formal. (não podemos esquecer que simultaneamente com a expansão dos

VIPPES se concretizará redução nos grupos etários de crianças, adolescentes, jovens e adultos jovens – o que dificultará o atendimento familiar por parentes menos idosos).

IBGE – Projeção da População Brasileira por Sexo e Idade 2000/2060
                                      Revisão 2013        – (em milhares)

  2000 2014 2020 2030 2040 2050 2060
VIPPES 90 anosem diante  284  504  743  1.263  2.134  3.563  5.024
% de aumentodesses VIPPES

de 90 em diante

    –  77%  47%  70%  69%  67%  41%
% aum./reduç.da população total         –  17%  5%  5%  2%  – 1%  – 4%

Lamentavelmente, ainda há parte da população de VIPPES de 70 a 89 anos que por razões diversas e não necessariamente doença, também necessita de cuidadores.

O Brasil de hoje, 2014, tem uma demanda potencial mínima de meio milhão de cuidadores e ela não está atendida. Nem há número de cursos e monitores para tanta gente. E essa demanda vai aumentar cada vez mais, só que o crescimento populacional total cai vertiginosamente e o potencial de mão de obra se reduz aceleradamente.

É uma grande oportunidade de repensar a economia, a educação, a demografia e a sociedade em geral.

G. Hansen Jr.

Compartilhe.

Leave A Reply