- 22 de novembro de 2017

Milhares de cargos

0

Novos comportamentos, novas tecnologias, novas situações criam negócios rentáveis e novas funções de trabalho. Algumas seriam impensáveis alguns anos atrás. Uma delas está descrita aqui e surge um novo cliente em potencial no mercado.

milhares_de_cargosAcompanhante da Terceira Idade (melhor seria mencionar VIPPES porque muita gente não gosta de ser adjetivada como terceira idade, melhor idade, idosa, etc.

É exatamente uma nova função para a nova geração de VIPPES. Muitos VIPPES homens e mulheres gostam de morar/viver sozinhos para manter autonomia até onde for possível.

Muitos deles não possuem filhos ou parentes e nem sempre conseguem sair por falta de um acompanhante. Qual a solução?

Um acompanhante qualificado que prestará atendimento em várias situações.

No caso do anúncio afixado em lousas e quadros de avisos de vários estabelecimentos comerciais, a candidata a acompanhante possui automóvel, não presta serviços de enfermagem e pode levar os idosos para passeios, compras, cabeleireiro e consultas médicas. Nesse tipo de trabalho pressupõe-se que os VIPPES usuários não tenham qualquer tipo de dificuldade de movimentação e de comunicação.

Evidentemente essa função é uma daquelas que crescerão vertiginosamente em muitas cidades.

Outros cargos de acompanhante de VIPPES já exigem conhecimentos e práticas de especialidades adequadas às insuficiências ou deficiências dos eventuais usuários. Fisioterapia, enfermagem, psicologia e primeiros-socorros.

Em São Paulo, por exemplo, funciona um programa da Prefeitura com o nome de Programa Acompanhante do Idoso. Dezenas de acompanhantes levam idosos que se inscrevem no programa para passeios, consultas e atendimentos diversos.

Um mês típico desse programa revela cerca de 1.900 idosos acompanhados em pouco mais de 7 mil cadastrados. O número é ínfimo em relação à população idosa de baixa renda da capital paulista. O pessoal relacionou algumas das dificuldades encontradas para a realização dos objetivos:

– Falta de interesse de profissionais médicos em ingressar no Programa.
– Insuficiência da rede de apoio e suporte para encaminhamento de usuários atendidos pelo Programa, principalmente para os serviços de reabilitação, saúde mental e assistência social.
– Área de abrangência muito extensa a ser coberta pelo Programa em algumas das unidades.
– Impossibilidade de aquisição de equipamentos como esfigmomanômetro, estetoscópio e glicosímetro, na medida em que não foi previsto o repasse de verba para este fim no plano de trabalho de 2013.
– Aumento da demanda de idosos pelo Programa na região central.
– Dificuldade de espaço físico adequado para acomodar algumas equipes.

Quando se observa a busca de acompanhantes para idosos pelo setor privado, já encontramos várias empresas fornecedoras de serviços especializados, mas ainda insuficientes para as necessidades. Apenas uma empresa de empregos anunciou em curto período de tempo mais de 70 mil vagas para acompanhantes de idosos entre vagas oferecidas por agências de empregos e por pessoas físicas.

Essa é apenas uma parte da demanda não comunicada por muitas razões inclusive pela dificuldade de localizar pessoal adequado.

Antigamente eram babás as empregadas informais mais procuradas. A transição etária vai mudando de a para z a procura de profissionais; agora são os VIPPES que precisam de cuidadores e acompanhantes qualificados.

E do ponto de vista de marketing não pode ser esquecido que esse é o mercado de maior expansão deste século. Sem comparação com qualquer outro.

Germano Hansen Jr.

Compartilhe.

Leave A Reply